#EleNão (#ElNo)

Da Solidariedade Internacional chamamos as forças democráticas e progressistas, os homens e mulheres honestos de Brasil e da América Latina a apoiar de maneira unitária e contundente a candidatura de Fernando Haddad-Manuela D’Ávila.

A estratégia executada pela oligarquia brasileira foi desenhada pelo governo dos EUA para criminalizar e tentar destruir o PT. Através do golpe mediático, judicial e parlamentar levado a cabo em setembro do 2016 despojaram Dilma Rousseff do poder, instalando o corrupto governo de Temer, fantoche da Casa Branca que em só dois anos tem castigado o povo suprimindo as conquistas sociais dos trabalhadores, militarizando as ruas do Brasil e voltando a povoar as favelas de enormes guetos de miséria.

Em essa estratégia era necessário encarcerar Lula, ainda que não existisse uma só prova, desmoralizar todo o resquício de justiça, impedir sua candidatura, satanizar o PT, sua história de lutas e seus principais dirigentes. Lula está preso há 188 dias e apesar de sua proibição era o candidato com maior intenção de voto.

Tiveram que soltar a fera do museu dos horrores: o capitão nazista fascista Jair Bolsonaro, que se orgulha e reivindica a ditadura militar, a tortura, a esterilização em massa dos pobres; a pena de morte e o ódio à mulher; o que prefere um filho morto que um filho gay; o que despreza o povo e chama estúpidos aos eleitores. O que promete o esvaziamento do Estado, a privatização dos enormes recursos naturais do Brasil, a segurança cidadã aplicando a pena de morte e a venda de armas para que as pessoas  “acertem suas contas e matem  quem quiser, mesmo o que rouba – ainda que seja para comer- e menor de idade”. O que promete aos patrões tirar a gratificação dos trabalhadores. Nunca na história de Brasil se blasfemou e incitou ao ódio como nesta campanha eleitoral. Desde 30 de Setembro contam-se 70 crimes de ódio. Até marcar com arma branca uma suástica nazista no corpo de uma jovem de 19 anos por vestir uma camisa com a etiqueta #EleNão

Esse não é o Brasil que queremos e admiramos, alegre, trabalhador, bondoso e solidário, o da dança e do esporte, o da bela música, a cultura e os poetas baianos. O verde Brasil das lutas heroicas dos trabalhadores e dos sem terra.

Bolsonaro, o espantalho hitleriano que nos enche de vergonha alheia, é a cara pública do aparelho militar à espreita, o pior da humanidade que começou com Trump nos EUA, Macri na Argentina, Duque na Colômbia, Piñera no Chile. Porque todos eles são o mesmo, parte da grande estratégia de Washington: recolonizar a América Latina, destruir nossa soberania, impor os planos de submissão ao FMI e apoderar-se de nossos enormes recursos naturais.

A noite escura das ditaduras militares produziu mais de 200 mil mortos e desaparecidos na região; milhares de prisioneiros políticos e exilados, o cárcere, e a feroz tortura foi a antessala para impor os planos de dependência imperial e a impagável dívida externa ao FMI.

Ainda que queiram apagá-la, nossos povos têm memória e têm dito Nunca Mais.

Em 28 de outubro não se elege um candidato. Joga-se o destino, a vida e a liberdade de Nossa América. Que este chamado à consciência e a esperança do Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos, some forças à Frente Ampla Antifascista, leve nosso abraço a Lula e apoie decididamente  Fernando Haddad-Manuela D’Avila

#EleNão #EleNunca

#EleJamais #ElNuncaMas

#ContraOFascismoBrasilVotaHaddad

#ContraElFascismoBrasilVotaHaddad

#VouDeHaddad #VoyConHaddad

#HaddadSim    #HaddadPresidente #Haddad  #HaddadEManu

Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos